CAMINHOS DA VIDA7

FIGURAS DE JESUS NA BÍBLIA

 

Gênesis - Ele é a semente de Eva
Êxodo - Ele livra o seu povo do Cativeiro
Levítico - Ele é o Sumo Sacerdote
Números - É o que conduz o Seu povo à Terra Prometida
Deuteronômio - Ele é a lei da nossa Salvação
Josué - Ele é o que Luta pelo Seu Povo
Juízes - Ele é O que governa
Rute - Ele é aquele que nos resgata
I e II Samuel - Ele nos unge a cabeça com óleo
I e II Reis - Ele é o que Divide
I e II Crônicas - Ele é o Senhor da Vitória
Esdras - Ele é o Restaurador
Neemias - Ele é o que reedifica os muros
Ester - Ele livra o seu povo da Destruição
Jó - É o nosso sofredor
Salmos - Ele é o Bom Pastor
Provérbios - Ele é a Sabedoria
Eclesiastes - Ele é o Pregador sem vaidades
Cantares de Salomão - Ele é o Noivo que Ama a sua Igreja (Noiva)
Isaías - Ele é o Messias que havia de vir, o servo sofredor
Jeremias - Ele é o profeta que chora
Lamentações de Jeremias - Ele é o Senhor que chora pelo seu povo
Ezequiel - Ele é o Maravilhoso Ser das Quatro Faces
Daniel - É o quarto homem da fornalha ardente
Oséias - Ele é o que se afasta da iniquidade do Povo
Joel - Ele nos batiza com o Espírito Santo
Amós - Ele é o Grande Governador do Universo
Obadias - Ele é o Senhor que destrói os nossos inimigos
Jonas - Ele é o grande missionário que leva a Palavra de Deus ao Mundo
Miquéias - Ele é o Mensageiro Dos Pés Formosos
Naum - Ele é o Senhor que persegue os iníquos
Habacuque - Ele é o Justo
Sofonias - Ele é o Senhor de linhagem pura
Ageu - Ele é o Templo de Deus
Zacarias - Ele é o Pastor ferido, das mãos traspassadas, o Edificador do templo do Senhor
Malaquias - Ele é o Mensageiro da Aliança

 

No velho Testamento Ele é o que viria, no Novo Ele veio e Voltará...

 

Mateus - Ele é Jesus, o Messias
Marcos - Ele é Jesus, Maravilhoso
Lucas - Ele é Jesus, o Filho do Homem
João - Ele é Jesus, o Filho de Deus
Atos - Justo, Senhor de todos, Senhor que nos salva
Romanos - Ele é o Pacificador
I Coríntios - Ele é O Destruidor da Morte, Senhor da Glória, O único Fundamento, O Cordeiro do Sacrifício
II Coríntios - Ele é a Imagem de Deus
Gálatas - Ele é o Senhor da Graça
Efésios - Ele é o Exemplo Supremo da Maturidade
Filipenses - Ele é o prêmio supremo na luta da vida
Colossenses - Ele é Deus, o Cabeça da Igreja
I e II Tessalonisenses - Ele virá outra vez!
I Timóteo - Ele é o bem aventurado e único Soberano
II Timóteo - Ele é o Juiz de Todos os Homens
Tito - Ele é o Redentor
Filemon - É o Senhor que nos Liberta
Hebreus - Jesus é a Aliança entre nós e Deus, Autor da Nossa Salvação, O Grande Sumo Sacerdote, Autor e Consumador da nossa Fé.
Tiago - É o Senhor das Boas Obras
I e II Pedro - Ele é o Filho do Deus Vivente, A única Fonte de Verdade, O Pastor e Bispo das Almas
I, II e III João - Ele é o Amor
Judas - É o Senhor que nos alerta
Apocalipse - Ele é a Fiel testemunha, O Alfa e o Ômega, O Leão da Tribo de Judá, O Cordeiro, O Verbo de Deus e o Rei dos reis e Senhor dos senhores.

ORELHA DIREITA DE MALCO

 

       SUMÁRIO:

1 - Introdução

2 – O significado de um milagre

      2.1 – A orelha de Malco

      2.2 – Quem foi Malco

      2.3 – Relação entre Pedro e Malco

      2.4 – A orelha direita

3 – O sacerdote do templo

      3.1 – Descendentes de Arão

      3.2 – Funções do sacerdote

      3.3 – A separação do

      3.4 – Cerimônia de consagração do sacerdote

4 -  Os olhos de Malco se abrem

5 -  Pedro fere o servo do sumo sacerdote

      5.1 -  Quem era Pedro

      5.2 – A ação de Pedro

6 – Conclusão

7 – Bibliografia

1 - Introdução:

    Getsêmani, prensa de azeite em hebraico, fica ao leste de Jerusalém, no monte das Oliveiras. No lugar onde as azeitonas eram prensadas e esmagadas, Jesus também foi preso e esmagado.

    O Getsêmani tem um formato de quadrilátero, medindo cerca de cinquenta metros de superfície, e está rodeado por um muro.

                                       Figura nº 01 – Getsanimi atual

Descrição: C:\Users\Joceli\Desktop\getsanimi 1.jpg

    Jesus após a oração sacerdotal prosseguiu seu caminho, descendo do vale de Cedrom, muito estreito na parte entre os muros de Jerusalém e o sopé do monte das Oliveiras. Jesus passa por uma ponte sobre o leito de um pequeno rio, e adentra o olival no jardim do Getsêmani.

                              Figura 02 – Monte das Oliveira atual

Descrição: C:\Users\Joceli\Desktop\Monte das Oliveiras.jpg

 O mestre ordena a seus discípulos que se assentassem e aguardassem por ele, que iria mais adiante para orar. Jesus chama seus discípulos mais íntimos e leais, Pedro, Tiago e João. Eles são testemunhas da agonia que o Mestre passou no jardim do Getsêmani.

     Jesus em um grande esforço separa-se dos seus discípulos e vai para mais adiante, no Getsêmani, a fim de abrir seu coração com mais liberdade, diante do Pai. A natureza humana do Mestre estava tão profundamente angustiada que ele se deixa cair de joelhos com o seu rosto prostrado em terra.

     Uma atitude de submissão, adoração e desolação. Ele rogou ao Pai que se possível, afastasse dele aquela hora tão terrível!

     "E, indo um pouco mais para diante, prostrou-se sobre o seu rosto, orando e dizendo: Meu Pai, se é possível, passe de mim este cálice; todavia, não seja como eu quero, mas como tu queres." Mateus 26:39

 

“ Muitos talvez pensem que Jesus sentiu medo de morrer, pois suava frio, sentia calafrios pelo corpo, o suor era notório. Mas NÃO! Existia medo sim; mas medo, de não chegar na cruz.

      Jesus os viu chegar. Era uma multidão de pessoas que com tochas em suas mãos, esgueiravam-se por entre as arvores . O coração dele deve ter batido mais forte, e a adrenalina deve ter acelerado enquanto pensava: "É agora!" O inimigo havia chegado. O seu tempo havia chegado.

     Ele tomou à frente dos discípulos, todos confusos, ainda em estado de sonolência por dormir pouco e pelo muito estudo.

    Jesus, naquelas últimas horas, havia insistido com eles, tentando passar o ensino que lhes guiaria por toda a vida. Erguendo-se do chão que usaram de cama, eles depararam com uma multidão unificada formada de vários membros: soldados do templo, judeus livres, e escravos, todos enviados para pegar Jesus em flagrante, aproveitando a escuridão daquelas horas.

 

Um beijo tem muitos significados, como, amizade, carinho, sensualidade. Mas aquele era diferente. Era de traição. Pra muitos este representou a morte de Jesus, mas para a humanidade  “ a vida eterna “.

    Quando se aproximou Judas de Jesus e lhe deu um beijo. Este era o sinal da traição. Um beijo.

2 – O significado de um milagre       

2.1 -  A orelha de Malco

     Foi quando Pedro com sua espada desferiu um golpe e cortou a orelha direita do servo do sumo-sacerdote.

    “ Os quatro Evangelhos descrevem este momento em que Jesus, após a oração no Getsêmani, é entregue às autoridades pela traição de Judas Iscariotes, onde acontece este episódio em que um dos que vieram prender Jesus, tem sua orelha direita cortada. Seu nome: MALCO “.

E Jesus tocando em sua orelha o curou.

Mateus 26.51

“E eis que um dos que estavam com Jesus, estendendo a mão, puxou da espada e, ferindo o servo do sumo sacerdote, cortou-lhe uma orelha.”

Marcos 14.47

“Mas um dos que ali estavam puxando da espada, feriu o servo do sumo sacerdote e cortou-lhe uma orelha”.

Lucas 22.50

“Então um deles feriu o servo do sumo sacerdote, e cortou-lhe a orelha direita”.

João 18.10

“Então Simão Pedro, que tinha uma espada, desembainhou-a e feriu o servo do sumo sacerdote, cortando-lhe a orelha direita. O nome do servo era Malco.”

    Muitos pregadores cometem um grande equivoco em dizer que Malco era um soldado.

    Na verdade, a Bíblia não descreve Malco como soldado e sim como  “ Servo do Sumo-Sacerdote “.

    Todos os evangelistas dão um relato desta ação de Pedro, mas nenhuma delas menciona o seu nome, somente o de João. Talvez, o motivo pode ser que Pedro estava vivo quando escreveram os outros evangelistas, e, portanto, não era seguro dizer quem foi que fez isso.

    Porque ele que foi o ministro da circuncisão, e habitou entre os judeus, poderia ser perseguido por eles, ou as suas mentes deviam ser prejudicadas contra ele devido a esse relato. Mas João escreveu seu Evangelho muitos anos após a sua morte, e a razão para a ocultação do seu nome já não subsistia:

O que também, nem o nome do servo do sumo sacerdote é mencionado por nenhum dos outros evangelistas:

2.2  – Quem foi Malco

      Malco - Ou Malchus, é a forma helênica do hebraico Meleque, que significa “rei”. Na Bíblia ele é identificado por João como aquele servo do Sumo Sacerdote Caifás que tinha liderado a legião de soldados romanos que foi prender Jesus no Getsêmani.

          Sendo servo do Sumo Sacerdote, possivelmente  era um levita, tinha um sonho, ser sacerdote. Acompanhava o sumo-sacerdote o tempo inteiro, não só como aprendiz, mas também como servo. Esta era a posição de  Malco.  

    Estudos apontam que  Malco passou anos estudando o torah, seguindo regras, leis e certamente estava bem próximo de tornar-se um sacerdote quando seu superior ordenou-lhe prender Jesus.

    Um personagem secundário que aparece nos evangelhos no momento da prisão de Jesus.

      Um personagem desses despercebido que se passa nos evangelhos. Ele não tem uma história não se sabe sobre seus pais, sua vida. Sabe-se pouco a respeito desse homem. Apenas que ele era servo do sumo sacerdote Caifás, uma espécie de soldado a serviço dos religiosos.

      Ele devia ter uma péssima visão acerca de Jesus. Para ele Jesus não passava de um farsante, um estelionatário que só queria o dinheiro do povo. Um falso médico que pagava as pessoas para fingirem estar doentes e depois simularem uma cura milagrosa.

      Para Malco Jesus não passava de um fanático religioso, um professor mentiroso que perturbava a nação de Israel com suas heresias minando a religião judaica. E bem deveria pensar assim, era o que ele ouvia dos seus senhores, do seu patrão, “acaso pode vir alguma coisa boa de Nazaré?” era a piada que rolava entre os sacerdotes para depreciar Jesus.

      Portanto era uma visão totalmente distorcida acerca de Jesus, gerada por influencia de outras pessoas. Malco odiava a Jesus sem ao menos conhecê-lo, não tinha simpatia nenhuma por Ele. Talvez já havia sido enviado para prender a Jesus quando este pregava no templo, mais era impedido por causa da multidão e por não ter chegado a hora de Jesus.

      2.3 -  Relação entre Pedro e Malco

     Não vejo relação entre Pedro e Malco.

     Vemos em Pedro um discípulo ainda em fase de aprendizado, pois, até mesmo nesse incidente Jesus lhe fala do seu Reino, o propósito do pai para com ele, sua posição, soberania e governo do pai.

     Malco era servo do sumo sacerdote, e a serviço dos principais do sacerdote junta-se ao demais e sai ao encontro de Jesus para prendê-lo.

2.4 - A orelha direita

    Nos questionamos:

    O porque da orelha ser direita?

    Porque justamente a da direita?

    Não poderia ser a esquerda.

    Quando iniciei este trabalho, eu não havia parado para questionar estes fatos, aja visto não considerá-lo importante.

    Pois se olharmos a importância do evento, vemos Jesus sendo preso, vemos a ira de Pedro.  

     Vemos Jesus orando e agonizando. Vemos Jesus suando sangue, vemos por fim, Jesus fazendo o seu último milagre ao se abaixar, pegar a “ orelha de Malco “ e colocá-la no local.

     Mas porque tinha que ser a orelha direita. Pois poderia ser a outra, poderia ser um braço etc.

     Jesus tinha um propósito maravilhoso e Malco sabia da importância da orelha direita para ele, para o seu ministério.

    Pergunto-me: O que será que passou na cabeça de Malco. Talvez uma grande tristeza, um sentimento de derrota, um sentimento de perda.

   Diante do ocorrido sua vida ministerial tinha chegado ao fim. A Lei de Moisés exigia a perfeição para o exercício do sacerdócio (Lv 22:17-23). Para se tornar um sacerdote o aspirante não poderia ter qualquer defeito físico.

   Quando foi ferido, Malco viu seu sonho acabar, tudo aquilo pelo qual ele se dedicou acabara naquele instante, quantos anos de estudos, trabalho, dedicação e o amor que ele tinha pelo ministério, sua vocação, haviam sido destruídas ali.

3 – sacerdote do templo:

     Antes de qualquer coisa em Hb 5.1. O sacerdote era ”constituído nas coisas concernentes a Deus a favor dos homens”. Quer isto dizer que ele apresentava ao Senhor coisas, dons e sacrifícios, ofertas do homem a Deus; e o seu trabalho era realmente oposto ao do profeta, que devia revelar Deus ao homem.

 

Nos tempos dos Patriarcas, o chefe da família, ou da tribo, operava como sacerdote, representando a sua família diante de Deus. Foram assim considerados Noé, Abraão, Isaque e Jacó. Na época do êxodo havia israelita que possuíam este direito de sacerdócio, e exerciam; mas tornou-se necessário  designar uma ordem  especial para desempenhar os deveres sacerdotais, sendo a tribo de Levi a escolhida para este fim. Desta tribo saíram os sacerdotes arônicos, que  eram os mediadores entre o homem e Deus. Os filhos de Arão eram sacerdotes, a não ser que tivessem sido excluídos por qualquer incapacidade legal.

    Nesta consideração, a idéia fundamental de sacerdote é a de um mediador entre o homem e Deus. O sacerdote apresenta-se entre o homem e Deus, como na verdade aparece o profeta entre Deus e o homem.

 

 

 

 

 

 

 

 

3.1 -  Descendente de Arão

     No Antigo Testamento, descendente de ARÃO separado para servir como oficiante no culto realizado primeiro no TABERNÁCULO e depois no TEMPLO. O sacerdote era MEDIADOR entre Deus e o povo, oferecendo SACRIFÍCIOS e orando em seu favor (Êx 28—29; Lv 21; 1Cr 24).

 

3.2 – Funções do sacerdote

  O sacerdote era sujeito as leis especiais para ministrar (Lv 10.8). Suas obrigações eram de três categorias:

1. Ministrar no santuário perante o Senhor;

2. Ensinar ao povo a guardar a Lei de Deus;

3. Tomar conhecimento da vontade divina, consultando o Urim e tumim (Ex 29.10; Nm 16.40; Ed 2.63) O Urim e Tumim (luz e Perfeição), era o nome de um ou mais objetos pertencentes ao racional do juizo que o sumo sacerdote trazia ao peito quando se apresentava ao Senhor (Ex 28.30).

Era para consultar a vontade de Deus em casos difíceis de interesse do povo (Nm 27.21;Jo 1.1; etc .

3.3 - A separação para o sacerdócio

    Depois da saída do Egito (êxodo) muitos dos Israelitas exerciam este cargo de sacerdote, pois  o Senhor designou uma tribo somente para unir-se ás qualidades espirituais, morais e vocacionais dos sacerdotes, que foi a tribo de Levi, sendo  os candidatos Arão e seus filhos.

     O sacerdócio exigia santidade “Levítico 22:1-2 -   Depois disse o Senhor a Moisés: Dize a Arão e a seus filhos que se abstenham das coisas sagradas dos filhos de Israel, as quais eles a mim me santificam, e que não profanem o meu santo nome. Eu sou o Senhor.”

     O israelita exercia funções de sacerdote, todos os chefes da tribo faziam este tipo de ritual, para obter organização a santificação.  Deus designou uma função para a tribo de Levi, somente a tribo de Levi e sua descendência poderiam exercer o sacerdócio.

     Deus deu uma ordenança para Moises, a respeito da função do sacerdócio, e todo ordenança e manual, estão registrados no terceiro livro do Pentateuco, o livro de Levíticos.

    Todo este processo era obtido para o cargo do sacerdócio no Velho Testamento, as vestes dos sacerdotes, era um diferencial para o povo daquela época.

3.4 – Cerimonia de consagração do sacerdote

a) Lavagem em água, Ex 29:4: Lv 8:6

b) Vestir em vestes santas  Éx. 29:8.9: 40:14: Lv 8:13

c) Ungir com óleo. Ex 30:30: 40:13

d) Oferecer sacrifícios, Ex 29:10-19: 8:14-23

e) Purificação pelo sangue do carneiro da consagração. Ex 29:20.21: Lv 8:23.24

e) Imposição das mãos sobre, a oferta movida. Éx 29:22-24: Lv 8:25-27

f) Participar dos sacrifícios da consagração, Ex 29:31-33: Lv 8:31,32

g) Duravam sete dias. Éx. 29:35-37: Lv 8:33

h) Tinham de ficar no tabernáculo sete dias após sua consagração. Lv 8:33-36

i) Nenhuma Pessoa, defeituosa podia ser consagrada para o sacerdócio levítico. Lv 21:17-23

j) Era necessário provar a genealogia, antes de exercer o oficio. Ed 2:62: Nm 7:64

 

 

 

 

                                                  Figura 03 – Vestes sacerdotais

Descrição: C:\Users\Joceli\Desktop\vestessacerdotaishebreus.jpg

    “ Malcon sabia que sem a orelha, ele não poderia ser consagrado a sacerdote do templo. Ele conhecia as escrituras sagradas, as havia estudado por longos anos.”

     Os seus sonhos estavam se esvaindo naquele momento. Anos de preparação, estava escapando por entre os seus dedos cheios de sangue naquele momento.

 

- Levítico 21:17 - Fala a Arão, dizendo: Ninguém da tua descendência, nas suas gerações, em que houver algum defeito, se chegará a oferecer o pão do seu Deus.

- Levítico 21:21 - Nenhum homem da descendência de Arão, o sacerdote, em quem houver alguma deformidade, se chegará para oferecer as ofertas queimadas do SENHOR; defeito nele há; não se chegará para oferecer o pão do seu Deus.  

 

    Malcon sabia da importância da orelha direita para o sacerdote, pois a sua ponta no momento de sua consagração sacerdotal seria ungida.

 

“ Moisés também fez chegar os filhos de Arão, e pôs daquele sangue sobre a ponta da orelha direita deles, e sobre o polegar da sua mão direita, e sobre o polegar do seu pé direito; e Moisés espargiu o restante do sangue sobre o altar em redor”. Levítico 8.24

    Então JESUS amorosamente que conhecia a Lei se aproximou, pegou a orelha de Malco e a colocou no local, e assim o último milagre de Jesus acabava de se realizar. 

 

“ Deus vê todas as coisas. Ele sabe dos nossos sonhos. E quando a nossa vida está nas mãos Dele, ainda que alguém tente frustrar os nossos objetivos, eis que Jesus nos acode e nos cura e reconstrói os nossos sonhos. Ainda não é o fim. Jesus Cristo pode reconstruir aquilo que foi quebrado, curar o que está ferido e alicerçar o que está prestes a ruir. Que assim como Malco nos lembremos que em meio a tantas coisas que estão acontecendo, quando estamos no limite de nossa dor, ou achando que chegamos ao fim da linha, eis que Jesus chega e diz: “Basta. Essa luta não é só sua. “É minha também.” E nos traz a cura.”

4- Os olhos de Malcon se abrem

   

  Com a atitude de Jesus, acredito sinceramente, mesmo a bíblia não falando, algo mudou em sua vida.

    Acredito que ao ser tocado e sua orelha restaurada, a sua vida nunca mais foi a mesma.

    Jesus conhecia o coração de Malco, ele não passou despercebido diante dos seus olhos, e o tocou de forma sobrenatural.

    Aquele homem que era escravo agora internamente é livre. Pois acredito que é impossível alguém ser tocado por Jesus e não ter sua vida transformada e liberta.

    Foi o que Malco experimentou ali de joelhos em estado de choque com a certeza de que olhou nos olhos do FILHO DE DEUS.

5 – Pedro fere o servo do sumo sacerdote

5.1 – Quem era Pedro

O apóstolo Pedro, um dos doze, que tem proeminência na narrativa dos Evangelhos e na primeira parte do livro de Atos dos Apóstolos e que é, sem dúvida, um grande exemplo da mudança de caráter que Jesus faz na vida de todos quantos O aceitam como Senhor e Salvador de suas vidas.

- Pedro surge, pela vez primeira, nas Escrituras Sagradas, em Mt.4:18, quando nos é informado que seu nome era “Simão”, forma diminutiva de “Simeão” (em hebraico, “Shimon”), cujo significado é “Deus ouviu”, nome, aliás, do segundo filho de Jacó e Lia (ou Léia), onde se dá a explicação do significado deste nome (Gn.29:33).

- Simão era filho de Jonas, por isso chamado de “Barjonas”, palavra que, em aramaico, significa “filho de Jonas” (Mt.16:17), tendo tido o seu nome mudado por Jesus para “Pedro” (Mc.3:16; Jo.1:42), que significa “pedregulho”, “pedra pequena”, mesmo significado da palavra “Cefas” (Jo.1:42; I Co.15:5 e Gl.2:9), que é a versão aramaica do nome “Pedro”, que é grego. Jonas, seu pai, deveria ser um pescador. Como bem explica o pastor Osmar José da Silva, “…os filhos de Jonas, André e Pedro, trabalhavam na pescaria com o pai, embora tudo leva a crer que Simão tinha o seu barco próprio. A pesca era um dos negócios rentáveis naqueles dias; possuir barcos e redes para a indústria pesqueira não era para pessoas pobres e, portanto, estes homens eram considerados classe média alta; possuidores de suas casas próprias e viviam bem, para os padrões da época. A indústria da pesca era uma das mais importantes naqueles dias…” (Reflexões filosóficas de eternidade a eternidade (São Paulo:s.e., 2001), v.6, p.22-3).

- Simão, como seu irmão André, era de Betsaida (Jo.1:44), cidade cujo nome significa “casa de pesca” ou “casa do pescador”, a revelar, portanto, a própria vocação da cidade, cidade esta que ficava à margem nordeste do mar da Galiléia, situada perto de Cafarnaum, onde Pedro foi morar, pois ali era a sua casa (Mt.8:13,14). Era casado, tanto que, já quando estava a pregar o Evangelho, se fazia acompanhar de sua mulher (I Co.9:5), além do que um dos primeiros milagres de Jesus, em Seu ministério público, foi o de curar a sogra de Pedro.

- O irmão de Simão, André, era discípulo de João Batista (Jo.1:37,40) e, quando este testificou que Jesus era o Messias, imediatamente passou a segui-lO, tendo, então, ido ao encontro de seu irmão Pedro e lhe falado a respeito de Jesus, oportunidade em que o Senhor lhe mudou o nome. Isto nos revela que Pedro, assim como André, tinham uma preocupação com respeito ao reino de Deus, às coisas espirituais, dentro do clima surgido naquele tempo de ansiedade pela vinda do Messias, ante a opressão ocasionada pelo domínio romano, que havia se intensificado. Apesar de indoutos, de não terem freqüentado as academias rabínicas, de terem se dedicado, ainda jovens, à pesca, eram homens que anelavam pela redenção de Israel.

- Apesar de Jesus ter mudado o nome de Pedro, este não O seguiu de imediato. Com efeito, depois deste encontro, que ocorreu em Betânia, da outra banda do Jordão, onde João batizava (Mt.3:13; Jo.1:28,35 — não confundir com a aldeia de mesmo nome onde moravam Lázaro e suas irmãs), vemos que Jesus foi para a Galiléia, mas Pedro não O seguiu, tendo retornado à pesca, assim como seu irmão André (Mt.4:18).

- Pedro só iria abandonar tudo e seguir a Cristo no episódio que os estudiosos da Bíblia chamam de “pesca maravilhosa”, descrito com minúcias em Lc.5:1-11, quando nos é informado que Jesus foi pregar no mar da Galiléia e, como a multidão o apertava, entrou no barco de Simão e dali os ensinou. Depois da preleção, mandou que Pedro fosse para o mar alto e lançasse as redes para pescar, o que totalmente contrário à lógica, vez que haviam pescado a noite inteira e nada haviam apanhado. Entretanto, Simão, diante desta ordem do Senhor, que nem sequer pescador era, obedeceu e houve uma grande quantidade de peixes. Simão, então, prostrou-se diante do Senhor e pediu que Se ausentasse dele pois era ele um homem pecador. Jesus, porém, disse para que Simão não temesse e o chamou para que fosse, dali em diante, pescador de homens. Foi, então, que Pedro tudo deixou e passou a seguir o Senhor.

5.2 – O ação de Pedro

     "Então Simão Pedro, que tinha uma espada, a desembainhou, e feriu o servo do sumo sacerdote, e lhe cortou a orelha direita. E o servo se chamava Malco. Jesus então disse a Pedro: Põe a tua espada na bainha; o cálice que o Pai me deu, não o beberei?" (Jo. 18:10-11).

            Quando o Senhor foi detido, Pedro, que tinha uma espada, tirou-a e feriu a Malco, um servo do sumo sacerdote, cortando-lhe a orelha direita.

       Levado por seu zelo humano, Pedro quis defender o Senhor com a sua espada. Talvez pensasse que a captura do seu Mestre era um assunto de força. O seu Mestre estava aos seus olhos, sem dúvida muito debilitado; ele necessitava de um homem forte ao seu lado.

      A sua ação é muito parecida com o de Uzá, nos tempos do rei Davi, quando quis evitar que a arca caísse do carro conduzida pelos bois.

      Por um instante Pedro perdeu a visão de quem é Jesus.

    Não há indícios na bíblia de que Pedro ao golpear Malco com sua espada, estaria ele praticando este ato, na tentativa de punir  o servo do sumo sacerdote, por conhecer a lei.

    Acredito mais na hipótese de que Pedro sendo um péssimo usuário da espada, tentou sim,  foi decepar foi a cabeça de Malco, e ao errar o golpe acertou apenas a orelha.

    O que me chama a atenção é que Pedro mesmo andando com Jesus, já havia três anos, ainda empunhava uma espada na cintura.

    Jesus vendo, não o mandou se desarmar. O que nos faz entender que para tudo há um propósito. E nós, como limitados no entender, muitas vezes não percebemos qual a vontade de Deus em nossa vida, em nosso ministério.

6 – Conclusão

     Malco tem sua orelha direita cortada. A Bíblia faz questão de mencionar que a orelha era a DIREITA.

     A importância da orelha direita, esta em:

     Levítico 8.24

“ Moisés também fez chegar os filhos de Arão, e pôs daquele sangue sobre a ponta da orelha direita deles, e sobre o polegar da sua mão direita, e sobre o polegar do seu pé direito; e Moisés espargiu o restante do sangue sobre o altar em redor “.

   Podemos perceber que em levítico 8.24, fala  de molhar a ponta da orelha com o sangue, em uma conduta ritualística.

    João 18:10

“ Então Simão Pedro, que tinha espada, desembainhou-a, e feriu o servo do sumo sacerdote, cortando-lhe a orelha direita. E o nome do servo era Malco.”

   Percebemos no texto de Jo 18.10, que Malco teve a sua orelha arrancada (ou cortada, ferida) à força, com um golpe de espada, desferido por Simão Pedro, que pretendia defender Jesus da prisão.

      Em João existe a suposta perda de uma orelha, provocada por uma agressão de Simão Pedro, com uma espada, em relação a Malco.

     Já em Levítico, existe uma orelha que é molhada com o sangue de um carneiro, em um ritual de consagração.

     Assim, torna-se visível que não há hipótese de ligação entre estes textos.

    Por tanto, a conclusão que tenho, é que não vejo nenhuma relação entre os dois textos, no que diz respeito a atitude de Pedro e o dano sofrido por Malco.

    Onde poderíamos contextualizar e extrair algum ensinamento seguro ou significados dos detalhes da consagração sacerdotal e do porque da decapitação da orelha direita de Malco.

    O que sabemos de Malco era que ele era servo do sumo sacerdote. Em lugar nenhum da Bíblia diz que ele era sacerdote, porém podemos conjecturar isso pelo fato da Bíblia dizer que ele era servo, pois sabemos que os sacerdotes auxiliavam o sumo sacerdote no serviço sagrado, mesmo com essa suposição não podemos  afirmar ou dar algum significado ao fato do corte da orelha direita de Malco.

     Mesmo com os indícios acima citado, nos limitamos a dizer que o incidente do corte da orelha de Malco foi circunstancial.

     Se tivéssemos o registro de algum sacerdote que perdeu seu posto e ficou desonrado após ter a orelha direita cortada, ou alguma advertência Bíblica tendo como punição a decapitação da orelha direita do sacerdote transgressor da lei, isso seria suficiente para contextualizar e afirmar que a intenção de Pedro foi desmoralizar, e condenar o sacerdócio.  

 

 

 

O VINHO E A BÍBLIA

1. A Primeira Menção de Vinho ou Bebedice:

Gênesis 9:20-25 "E começou Noé a ser lavrador da terra, e plantou uma vinha. E bebeu do vinho, e embebedou-se; e descobriu-se no meio de sua tenda. E viu Cão, o pai de Canaã, a nudez do seu pai, e fê-lo saber a ambos seus irmãos no lado de fora. Então tomaram Sem e Jafé uma capa, e puseram-na sobre ambos os seus ombros, e indo virados para trás, cobriram a nudez do seu pai, e os seus rostos estavam virados, de maneira que não viram a nudez do seu pai. E despertou
Noé do seu vinho, e soube o que seu filho menor lhe fizera. E disse: Maldito seja Canaã; servo dos servos seja aos seus irmãos."

Resultou em:
a. Nudez
b. Perversão Sexual (Homossexualidade)
c. Divisão na família
d. A Maldição de um neto e da sua progenitura

2. A Segunda Menção de Vinho.

Gênesis 14:18-20 "E Melquisedeque, rei de Salém, trouxe pão e vinho; e era este sacerdote do Deus Altíssimo. E abençoou-o, e disse: Bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo, o Possuidor dos céus e da terra; E bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou os teus inimigos nas tuas mãos. E Abrão deu-lhe o dízimo de tudo."

Resultados:
a. Melquisedeque, um tipo ou manifestação pré-encarnada de Cristo
b. Levou pão e vinho (A Ceia do Senhor)
c.  Indica que haja mais de um tipo de vinho nas Escrituras.

3. A Terceira Menção de Vinho e Bebedice

Gênesis 19:31-36 "Então a primogênita disse à menor: Nosso pai já é velho, e não há homem na terra que entre a nós, segundo o costume de toda a terra; Vem, demos de beber vinho a nosso pai, e deitemo-nos com ele, para que em vida conservemos a descendência de nosso pai. E deram de beber vinho a seu pai naquela noite; e veio a primogênita e deitou-se com seu pai, e não sentiu ele quando ela se deitou, nem quando se levantou. E sucedeu, no outro dia, que a primogênita disse
à menor: Vês aqui, eu já ontem à noite me deitei com meu pai; demos-lhe de beber vinho também esta noite, e então entra tu, deita-te com ele, para que em vida conservemos a descendência de nosso pai. E deram de beber vinho a seu pai também naquela noite; e levantou-se a menor, e deitou-se com ele; e não sentiu ele quando ela se deitou, nem quando se levantou. E conceberam as duas filhas de Ló de seu pai."

Resultou em:
a. Nudez.
b. Perversão Sexual (Incesto).
c.  A Destruição da Estrutura Divina para a Família.
d.  Esse ato trará grande problemas para o Povo de Israel nos anos futuros.

4. O Senhor deu Mandamento para o Sacerdote não beber vinho.

Levítico 10:8-11 "E falou o SENHOR a Arão, dizendo: Não bebereis vinho nem bebida forte, nem tu nem teus filhos contigo, quando entrardes na tenda da congregação, para que não morrais; estatuto perpétuo será isso entre as vossas gerações; E para fazer diferença entre o santo e o profano e entre o imundo e o limpo, E para ensinar aos filhos de Israel todos os estatutos que o SENHOR lhes tem falado por meio de Moisés."

Condições do mandamento:
a. Para que Deus não os mate.
b. Trata-se de um mandamento perpétuo.
c. Para que possam determinar a diferença entre o santo e o profano.
d. Para que possam determinar a diferença entre o limpo e o imundo.
e. Para que possam ensinar o que Deus disse.

Hoje, os Cristãos são chamados sacerdotes.

I Pedro 2:5-12 "Vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo. Por isso também na Escritura se contém: Eis que ponho em Sião a pedra principal da esquina, eleita e preciosa; E quem nela crer não será confundido.  E assim para vós, os que credes, é preciosa, mas, para os rebeldes, A pedra que os edificadores reprovaram, Essa foi a principal da esquina, E uma pedra de tropeço e rocha de escândalo, Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz; Vós, que em outro tempo não éreis povo, mas agora sois povo de Deus; que não tínheis alcançado misericórdia, mas agora alcançastes misericórdia. Amados, peço-vos, como a peregrinos e forasteiros, que vos abstenhais das concupiscências carnais que combatem contra a alma; Tendo o vosso viver honesto entre os gentios; para que, naquilo em que falam mal de vós, como de malfeitores, glorifiquem a Deus no dia da visitação, pelas boas obras que em vós observem."

a.  Não apenas um sacerdócio mas um sacerdócio santo.
b.  Nosso sacerdócio é maior do que o deles, nossa santidade deve ser maior do que deles.
c.  Devemos anunciar as virtudes do Senhor.
d.  Abstenção de concupiscências carnais que combatam contra a alma (isso inclui a abstenção de beber vinho).

5.  Nenhum vinho enquanto separado ao Senhor.

Números 6:2-3 "Fala aos filhos de Israel, e dize-lhes: Quando um homem ou mulher se tiver separado, fazendo voto de nazireu, para se separar ao SENHOR, De vinho e de bebida forte se apartará; vinagre de vinho, nem vinagre de bebida forte não beberá; nem beberá alguma beberagem de uvas; nem uvas frescas nem secas comerá."

Números 6:20-21 "E o sacerdote os oferecerá em oferta de movimento perante o SENHOR: Isto é santo para o sacerdote, juntamente com o peito da oferta de movimento, e com a espádua da oferta alçada; e depois o nazireu poderá beber vinho. Esta é a lei do nazireu, que fizer voto da sua oferta ao SENHOR pelo seu nazireado, além do que suas posses lhe permitirem; segundo o seu voto, que fizer, assim fará conforme à lei do seu nazireado."

Juizes 13:3-7 "E o anjo do SENHOR apareceu a esta mulher, e disse-lhe: Eis que agora és estéril, e nunca tens concebido; porém conceberás, e terás um filho. Agora, pois, guarda-te de beber vinho, ou bebida forte, ou comer coisa imunda. Porque eis que tu conceberás e terás um filho sobre cuja cabeça não passará navalha; porquanto o menino será nazireu de Deus desde o ventre; e ele começará a livrar a Israel da mão dos filisteus. Então a mulher entrou, e falou a seu marido, dizendo: Um homem de Deus veio a mim, cuja aparência era semelhante de um anjo de Deus, terribilíssima; e não lhe perguntei donde era, nem ele me disse o seu nome. Porém disse-me: Eis que tu conceberás e terás um filho; agora pois, não bebas vinho, nem bebida forte, e não comas coisa imunda; porque o menino será nazireu de Deus, desde o ventre até ao dia da sua morte."

Sobre esse Voto:
a.  Geralmente esse é um voto temporário.
b.  Esse voto representa uma consagração maior a Deus.
c.  Abstenção completa durante o voto.

Devemos ser separados do mundo, para Deus.

II Coríntios 6:17-18 "Por isso saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; E não toqueis nada imundo, E eu vos receberei; E eu serei para vós Pai, E vós sereis para mim filhos e filhas, Diz o Senhor Todo-Poderoso."

Romanos 12:1-2 "Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que o vosso culto racional. E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus."

a.  Devemos ser separados ao Senhor até a volta de Jesus ou que vamos estar com Ele.
b.  Nossa consagração a Deus deve pedir este nível de separação.
c.  Deus nos diz que somente isso é racional.

6. O Rei e o Juiz não devem beber o vinho.

Provérbios 31:4-7 "Não é próprio dos reis, ó Lemuel, não é próprio dos reis beber vinho, nem dos príncipes o desejar bebida forte; Para que bebendo, se esqueçam da lei, e pervertam o direito de todos os aflitos. Dai bebida forte ao que está prestes a perecer, e o vinho aos amargurados de espírito. Que beba, e esqueça da sua pobreza, e da sua miséria não se lembre mais."

a.  O beber faz o bebedor esquecer a lei.
b.  O beber faz o bebedor perverter o julgamento.
c.  O beber faz o bebedor falhar em proteger o afligido.

Hoje os Cristãos são chamados Reis e Príncipes.

Apocalipse 1:4-6 "João, às sete igrejas que estão na Ásia: Graça e paz seja convosco da parte daquele que é, e que era, e que há de vir, e da dos sete espíritos que estão diante do seu trono; E da parte de Jesus Cristo, que é a fiel testemunha, o primogênito dentre os mortos e o príncipe dos reis da terra. Aquele que nos amou, e em seu sangue nos lavou dos nossos pecados, E nos fez reis e sacerdotes para Deus e seu Pai; a ele glória e poder para todo o sempre. Amém."

a.  Somos feitos reis por Deus e para Deus.

O Cristão é o Juiz do Mundo.

I Coríntios 2:14-16 "Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido. Porque, quem conheceu a mente do Senhor, para que possa instruí-lo? Mas nós temos a mente de Cristo."

a.  Se somos juízes não devemos beber e perverter o julgamento.

Advertências Contra Vinho e Bebedice

1.  Causa emoção exagerada.
Salmo 78:65 "Então o Senhor despertou, como quem acaba de dormir, como um valente que se alegra com o vinho."

2.  Causa desequilíbrio.
Salmo 107:27 "Andam e cambaleiam como ébrios, e perderam todo o tino."

3. O vinho escarnece do bebedor.
Provérbios 20:1 "O vinho é escarnecedor, a bebida forte alvoroçadora; e todo aquele que neles errar nunca será sábio."

4.  Leva à pobreza.
Provérbios 21:17 "O que ama os prazeres padecerá necessidade; o que ama o vinho e o azeite nunca enriquecerá."

Provérbios 21:20-21 "Tesouro desejável e azeite há na casa do sábio, mas o homem insensato os esgota. O que segue a justiça e a beneficência achará a vida, a justiça e a honra."

5. Causa o bebedor se ferir.
Provérbios 26:9 "Como o espinho que entra na mão  do bêbedo, assim é o provérbio na boca dos tolos."

6.  Causa o bebedor rejeitar a obra de Deus.
Isaías 5:11-13 "Ai dos que se levantam pela manha, e seguem a bebedice; e continuam até à noite, até que o vinho os esquente! E harpas e alaúdes, tamboris e gaitas, e vinho há nos seus banquetes; e não olham para a obra do SENHOR, nem consideram as obras das suas mãos. Portanto o meu povo será levado cativo, por falta de entendimento; e os seus nobres terão fome, e a sua multidão se secará de sede."

7.  Causa o bebedor vomitar.
Isaías 19:14 "O SENHOR derramou no meio dele um perverso espírito; e eles fizeram errar o Egito em toda a sua obra, como o bêbado quando se revolve no seu vômito."

8.  Resulta em nudez.
Lamentações 4:21 "Regozija-te e alegra-te, ó filha de Edom, que habitas na terra de Uz; o cálice passará também para ti; embebedar-te-ás, e te descobrirás."

9.  O mandamento é jamais se ser bêbedo.
Romanos 13:13 "Andemos honestamente, como de dia; não em glutonarias, nem em bebedeiras, nem em desonestidades, nem em dissoluções, nem em contendas e inveja."

10.  Somos ordenados não ofender com bebida.
Romanos 14:21 "Bom é não comer carne, nem beber vinho, nem fazer outras coisas em que teu irmão tropece, ou se escandalize, ou se enfraqueça."

11.  Somos ordenados não nos associarmos com Bêbedos.
I Coríntios 5:11 "Mas agora vos escrevi que não vos associeis com aquele que, dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com o tal nem ainda comais."

12.  Somos ordenados não sermos bêbedos com o vinho.
Efésios 5:18 "E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito;"

Tipos de Vinho

1.  Vinho Novo/Mosto [suco de uva recém espremidas]
Isaías 65:8 "Assim diz o SENHOR: Como quando se acha mosto num cacho de uvas, dizem: Não o desperdices, pois há bênção nele, assim farei por amor de meus servos, que não os destrua a todos,"

Joel 1:10-12 "O campo está assolado, e a terra triste; porque o trigo está destruído, o mosto se secou, o azeite acabou. Envergonhai-vos, lavradores, gemei, vinhateiros, sobre o trigo e a cevada; porque a colheita do campo pereceu."

Isaías 24:7 "Pranteia o mosto, enfraquece a vide; e suspiram todos os alegres de coração."

Provérbios 3:9-10 "Honra ao SENHOR com os teus bens, e com a primeira parte de todos os teus ganhos; E se encherão os teus celeiros, e transbordarão de vinho os teus lagares."

Neemias 10:37-39 "E que as primícias da nossa massa, as nossas ofertas alçadas, o fruto de toda a árvore, o mosto e o azeite, traríamos aos sacerdotes, às câmaras da casa do nosso Deus; e os dízimos da nossa terra aos levitas; e que os levitas receberiam os dízimos em todas as cidades, da nossa lavoura. E que o sacerdote, filho de Arão, estaria com os levitas quando estes recebessem os dízimos, e que os levitas trariam os dízimos dos dízimos à casa do nosso Deus, às
câmaras da casa do tesouro. Porque àquelas câmaras os filhos de Israel e os filhos de Levi devem trazer ofertas alçadas do grão, do mosto e do azeite; porquanto ali estão os vasos do santuário, como também os sacerdotes que ministram, os porteiros e os cantores; e que assim não desampararíamos a casa do nosso Deus."

Neemias 13:5 "E fizera-lhe uma câmara grande, onde dantes se depositavam as ofertas de alimentos, o incenso, os utensílios, os dízimos do grão, do mosto e do azeite, que se ordenaram para os levitas, cantores e porteiros, como também a oferta alçada para os sacerdotes."

2.  Vinho Real.
Ester 1:7 "E dava-se de beber em copos de ouro, e os copos eram diferentes uns dos outros; e havia muito vinho real, segundo a generosidade do rei."

3.  Vinho Misturado.
Provérbios 23:29-35 "Para quem são os ais? Para quem os pesares? Para quem as pelejas? Para quem as queixas? Para quem as feridas sem causa? E para quem os olhos vermelhos?  Para os que se demoram perto do vinho, para os que andam buscando vinho misturado. Não olhes para o vinho quando se mostra vermelho, quando resplandece no copo e se escoa suavemente. No fim, picará como a cobra, e como o basilisco morderá. Os teus olhos olharão para as mulheres estranhas, e o teu coração falará perversidades. E serás como o que se deita no meio do mar, e como o que jaz no topo do mastro. E dirás: Espancaram-me e não me doeu; bateram-me e nem senti; quando despertarei? aí então beberei outra vez."

 4.  Vinho Aromático.
Cantares 8:2 "Levar-te-ia e te introduziria na casa de minha mãe, e tu me ensinarias; eu te daria a beber do vinho aromático e do mosto das minhas romãs."

5.  Vinho Doce/Mosto [suco de uva recém espremidas]
Isaías 49:26 "E sustentarei os teus opressores com a sua própria carne, e com o seu próprio sangue se embriagarão, como com mosto; e toda a carne saberá que eu sou o SENHOR, o teu Salvador, e o teu Redentor, o Forte de Jacó."

 

Autor: Dr. Steve Harmon, Pastor Igreja Batista de Mainville,
57 East Foster-Maineville Road
Maineville, Ohio 45039
(513) 683-6708
E-Mail: drsteve@iglou.com

Tradução: Calvin G Gardner, 2004
Revisão gramatical: Helio de Menezes Silva, 2004
Fonte: www.obreiroaprovado.com